Autumnus

outubro 03, 2019 2 leitura

Autumnus

Chega quando o Verão se torna tímido e traz consigo a melancolia de quem sabe que o frio está para chegar. O pôr do sol tem uma luz única e o seu reflexo na Natureza desperta-nos tempos de contemplação.

É altura de recolha e de balanço; longe vão as tão desejadas férias de Verão, com as crianças a entrarem e sairem num reboliço saboroso. A luz apaga-se mais cedo e as noites longas e destemidas dão lugar a um ruído diferente. Idas noturnas à varanda já requerem um abrigo. Os dias acordam mais nítidos e a neblina no horizonte dissipa-se como se o mar não acabasse nunca…

Na ilha acabaram as vindimas e as vinhas exibem tons tão maravilhosos quanto efémeros; os socalcos vão perdendo o verde que outrora anunciava uma boa colheita e o cheiro que o ar emana vai acalmando com as primeiras chuvas. Partilham-se festas relacionadas com o tema e começam-se também a preparar as festividades natalícias. A baixa da capital é para nós o palco de todos os festejos!

As crianças, essas, retomam rotinas esquecidas pela força das férias e contam os dias para o Natal; acordam antes dos primeiros raios de sol e dormitam no percurso até à escola. Sabem melhor do que ninguém que o peso da luz seja ela solar ou lunar traduz-se nas horas de descanso e lembram com saudade as longas noites de Verão. Enquanto isso, nós, os adultos, vivemos tempos de adaptação a mais uma estação que traz sentimentos adormecidos.

É por esse mesmo motivo que a Natureza nos mostra o ciclo da vida. Se as árvores persistem em manter as suas folhas, acabam por perecer às temperaturas agressivas do Inverno e nós, enquanto parte integrante deste meio ambiente, também vamos fazendo as nossas adaptações. As estações não são mais do que ajustes nossos a um bem que nos foi concedido gratuitamente: a Vida!

Tom Jobim retrata estes tempos numa música única, naquele que é, no sul do mundo, o nosso Outono…“São as águas de março fechando o verão, é promessa de vida no meu coração”

Bem vindo Outono, bem-vindo Modesty!


Bem-vinda ao nosso mundo: