Somos Mães!

Ninguém nos prepara para o infindável papel que começa no dia em que damos à luz um filho. Não há ginástica de preparação de parto, livros, amigas ou mães que nos descrevam a emoção de um ser que nasce de nós. Dificilmente descrevemos esse sentimento sem uma uma lágrima nos olhos ou sem um sentimento de saudade das infindáveis borboletas que voaram dentro de nós durante largos meses.

Perdemo-nos por milhares de horas, num olhar que só nós sentimos. Debruçamo-nos no berço e ficamos paradas num fôlego único, como se inalássemos todos os sentidos, que nesta altura estão ao rubro e que assim perdurarão para sempre…

“A mãe vê tudo”, “A mãe ouviu isso”, ” A mãe sente que algo não está bem”, “”Cheira-me a esturro”, “A mãe sabe que dói muito”…sentidos permanentemente ativos e que se popularizaram no tempo, tornando a mãe uma espécie de segunda pele. E ninguém nos preparou para isto!

Nasce com algumas de nós, agarrado a um ADN que sentimos quase como um chamamento; aos meus 5 anos perguntavam-me o que queria ser quando crescesse e respondia sem um único suspiro: MÃE! Hoje sei que se o tempo e a paciência fossem elásticos, teriam vindo outros 4!

Hoje também sei que a expressão de uma tia avó viria a comprovar-se depois de arrumar na arrecadação as maxi-cosis: “Filhos criados, trabalhos dobrados”, dizia ela…e hoje sei que, onde quer que esteja, lhe dou toda a razão do mundo.

Mas quando à noite lhes oiço a respiração tranquila e profunda de quem sabe que a casa está a salvo, independentemente do pai estar em viagem ou não; quando entro no quarto do pequenino e ainda sinto o cheiro de uma pele de bebé que emana um perfume que nos enche a alma; quando dou o beijo de boa noite a um rosto adulto, que ainda se aninha no meu colo como se acabasse de nascer…oh meu Deus…como a vida vale todo o esforço, cansaço ou desgaste. E como dou graças por todos os meus sentidos continuarem a ser bafejados por sensações despertadas por aqueles que nasceram de dentro de mim e que para sempre terão uma ligação tão forte quanto única.

Parabéns! Somos mães!

 

Sofia D.